LUTE CONTRA O SENTIMENTO DE FRUSTRAÇÃO SOBRE SUA ESCRITA

05:53 4 Comments A+ a-


Pode ser muita pretensão da minha parte dizer que todo escritor vai em algum momento passar por uma crise com a sua escrita, mas ainda assim eu ouso dizer: você que adora escrever, independente do que seja, em algum momento já passou ou vai ainda passar por uma crise!

A questão que fica é: essa crise pode ser evitada? Para ser sincera eu acredito que não, as vezes a confiança falta um pouco conosco, porém acredito que em algumas ocasiões entramos nessa crise por pura bobeira, porque nos deixamos levar por coisas e pensamento que podem sim levar à algo maior (no caso, a crise).

Acredito que um dos maiores males que essa crise pode nos trazer é a frustração com nossa escrita, eu passei por isso e por conta da dúvida que criou-se dentro de mim passei um bom tempo sem escrever. Queria eu saber como driblar tudo que pode me levar a um conflito existencial dentro da escrita, mas eu diria que algumas coisas eu aprendi a evitá-las e é sobre essas coisas que quero falar: 


Se inspire, mas não tente ser o(a) autor(a) X.
Quem não tem um escritor preferido e deseja poder seguir todos os passos do mesmo, assim atingindo o sucesso? Eu acho que um dos motivos que me levou a entrar em crise entre 2014 e 2015 foi esse terrível fato. Eu estava lendo As Crônicas de Gelo e Fogo e fiquei tão encantada com tudo o que George criou, que eu comecei a duvidar da minha capacidade, eu pensava “por que alguém vai ler o que eu escrevo quando tem George R. R. Martin?!”. Se inspirar e ouvir os conselho de escritores de sucesso é maravilhoso, pode ajudar muito de verdade, o problema é quando começamos a nos comparar e querer ser igual à eles. 

Não escreva um gênero que você não gosta só porque todo mundo está escrevendo/lendo.
Você começar escrevendo uma coisa que não te agrada, já é começar o negócio de forma errada. Vai ser sacal, você vai querer morrer a cada linha escrita, isso QUANDO conseguir escrever uma. Não digo que você nunca deva tentar, é sempre bom você tentar coisas novas, porém acontece de você nem sempre se adaptar com todos os gêneros, eu por exemplo não consigo desenvolver bem um romance policial, talvez na época que eu tentei algo do gênero ainda não estava pronta para isso, ou eu realmente não sirvo para romance policial. Escreva sobre o que você se sente confortável em desenvolver. 

Não fique a mercê de TUDO o que os seus leitores dizem.
Ouvir leitor até um ponto é muito bom, afinal é para eles que você também escreve, como eu disse: também, não unicamente ou exclusivamente. Lembrando que a primeira pessoa que a sua história deve agradar é você, certo? Certo! A opinião dos leitores é relevante até o momento que você achar que é, faça mudanças naquilo que você sente segurança. Um leitor que não respeita a obra do autor, que não confia nele para lhe contar aquela história, não é leitor que vale o seu esforço. Direto eu vejo escritores falando “tenho que escrever capítulos longos, se não os leitores reclamam”, se você passa por isso eu digo: DEIXE QUE ELES RECLAMEM! Eles não sabem o trabalho que é escrever UMA página do Word, se ele não valoriza o que você escreve, então valorize você. Independente se o capítulo tem 2 páginas, ou 20, se você contou o que tinha que ser contado o trabalho está feito. 

Não comece uma história achando que ficará famoso(a) na internet e terá a sua história publicada.
Pode acontecer? CLARO! Mas você achar que ganhar fama na internet vai te levar à um contrato com editora é achar errado, muito errado. Não são todas as história famosas na internet que viram livros. E outra coisa, as pessoas não ficam famosas da noite para o dia, é preciso dedicação em sua história, divulgar da forma que puder, as vezes demora meses e mais meses para você ter um número considerável de views.

E falando em views: não meça a qualidade da sua história por números de visualização.
Quantas e quantas vezes me frustrei com isso e pior: comecei a duvidar de mim! Anos depois de começar a escrever eu continuo sendo “ninguém”, mas hoje eu não fico medindo o meu talento pelos números de visualizações. Me diga, quantas história que você começou a ler que não são lá essas coisas e tem milhares de visualizações? Então porque a sua história com aquele pouquinho não pode ser boa? Acredite em você! Quantidade nem sempre é sinônimo de qualidade. Apenas acredite no seu potencial.  

Se uma história não está dando certo não significa que você é um péssimo escritor.
As vezes acontece de nós começarmos uma história e ela simplesmente não acontece como queremos, ou não sentimos segurança com o caminho que ela está tomando, ou o caminho simplesmente acaba e não sabemos como continuar. Existe uma infinidade de motivos que podem levar a isso: a história começar com uma cena ruim, personagens certos na história errada, ou o personagem pode ser ruim de verdade, não é um gênero que você se dê bem, ou a história mesmo não é para você... Como falei, existem vários motivos que podem resultar em uma história travada, porém nenhum desses motivos é você ser um péssimo escritor, acredite em você e no seu talento.


Eu abandonei a minha escrita por motivos bobos, por ideias erradas que coloquei na minha cabeça e eu me arrependendo de ter perdido todo aquele tempo pensando que havia uma infinidade de pessoas melhores que eu para isso. Eu me fechei dentro da minha bolhinha de drama, demorei a entender que pode existir escritores muitos bons por ai, porém eles não pensam como eu, portanto eles não tem as minhas ideias e se eu não escrevê-las, quem vai? Outro dia eu estava ouvindo um dos podcasts do Gente Que Escreve e o Fabio ou o Rob falou algo mais ou menos assim: como escritores temos a responsabilidade de continuar contando histórias ao mundo. 

Então não pare de contar as suas histórias! Pense assim, existe alguém em algum lugar, que você não faz ideia de quem seja, mas esse desconhecido anseia por uma história que apenas você pode contar a ele, você vai deixar essa pessoa sem a história dela? Nossas histórias podem alcançar milhões de pessoas, ou apenas algumas dezenas, independente de números, você tem que deitar a sua cabeça a noite no travesseiro e pensar: cumpri essa missão! Pois essa história foi entregue ao mundo.


4 comentários

Write comentários
Marina
AUTHOR
2 de março de 2016 17:18 delete

Passei muito tempo escrevendo no blog sem muitos leitores, depois as pessoas foram chegando. Hoje, eu tenho leitores, não só visitantes. Não são muitos, mas isso é o que nos faz continuar. Claro que a gente quer publicar um livro, um dia; mas não é por isso que vou escrever. Escrevo para mim, para quem quiser me ler. Tanto no blog, no wattpad, quanto nos meus livros não publicados.

Não ouço o podcast, mas isso é bem o tipo de coisa que o Rob diria.

Reply
avatar
3 de março de 2016 10:05 delete

Nossa Gab, que demais seu texto. Principalmente essa última parte!
Eu escreve desde pequena, mas só agora terminei meu primeiro livro.
Não é uma tarefa fácil e, em vários momentos, me peguei pensando "mas por que diabos estou fazendo isso?".
Mas segui em frente e terminei minha estória. Nunca senti tanta satisfação, sentimento de dever cumprido.
Pode até ser que eu nunca publique nada ou que ninguém se interesse em ler minha estória. Mas pelo menos eu fui até o fim e me diverti durante esse processo.

Beeeijoos

www.ooutroladodaraposa.com.br

Reply
avatar
10 de março de 2016 13:46 delete

Falou tudo! Quando começamos a escrever com as motivações erradas as coisas já não vão começar bem, escrever tem que ser uma coisa que você faça por paixão e amor. E o que você falou do blog é uma verdade que poucos querem aceitar, ninguém começa bombando na internet e as pessoas ficam desesperadas em querer aparecer, é preciso muita dedicação e paixão no blog para ele ir pra frente. E fico feliz em saber que você não desistiu e foi em frente com o blog :)

Pois é, eu acho que foi o Rob que falou mesmo hahaha

Reply
avatar
10 de março de 2016 13:48 delete

Que legaaaal! Fico feliz por você, a sensação de você terminar uma história é a coisa mais incrível do mundo, é bem essa sensação de dever cumprido e você se sente bem consigo mesma, porque apesar de tudo o que aconteceu enquanto você escrevia, você foi até o fim.
Um dia quero ler essa história ai u-u hahahaha

Reply
avatar

O que dizer dessa pessoa que está escrevendo um comentário? TE CONSIDERO PAKAS!