COMO LUTO CONTRA O TAL BLOQUEIO CRIATIVO

17:40 2 Comments A+ a-


O que eu vou falar hoje pode até soar um pouco loucura, principalmente para aqueles escritores que gostam de ter a sua história bem planejada antes de começar a escrever. Acho que já falei algumas vezes que sou aquele tipo de autora que começa uma história com a primeira cena que vem a cabeça, define um final e o que vem no meio disso é um punhado de cenas que já tinha em mente e outras que vieram ao acaso, então o que eu vou falar super combina com a forma como escrevo e tem dado certo comigo.

Provavelmente um dos maiores medos, temores, ataques de raiva e sei lá mais o que, de um escritor é o tal do bloqueio criativo. Desde que ouvi um podcast falando a respeito disso, onde os autores afirmaram o ponto de vista de que o bloqueio criativo é um baita mito criado por nós mesmos, não vou entrar em detalhes sobre o que foi discutido no podcast, mas foram argumentos um tanto convincentes, convincentes o suficiente para me deixar pensando sobre o assunto não uma ou duas vezes, mas diversas vezes. 

Eu percebi que muitas vezes o que eu chamava de bloqueio criativo, na verdade era uma pura falta de vontade de escrever, ao invés de parar para escrever eu ficava procurando outras coisas para fazer (era uma preguiça vagabunda mesmo haha). Porém eu tinha outro problema, como eu falei, não tenho o costume de criar um roteiro bem elaborado sobre as minhas história, no máximo faço um resumão e a possibilidade dele mudar é bem grande, então direto eu passava pelo problemão de estar escrevendo uma cena, que já estava em mente, e quando ela acabava eu não sabia como preencher o buraco entre a cena escrita e a próxima que tinha em mente, não dava para simplesmente fazer o tempo passar, tinha que ter uma conexão ali para  a cena seguinte fazer sentido. 

Diversas vezes eu travava em uma história por conta disso, era bem frustrante ter a cena lá na frente e não poder continuar por causa da dita conexão que não existia naquele momento. Nesse mesmo podcast, além dele abrir a minha mente em relação ao que eu dizia ser o meu bloqueio criativo, me foi dada a solução do problema com as conexão das cenas: escrevê-las mesmo sem as conexões!

Juro que na hora comecei a rir sozinha, porque eu nunca tinha pensando nisso. Eu já não tinha a história totalmente planejada mesmo, qual seria o problema de escrever a cena que já estava em mente e depois voltar para conecta-la com a anterior? Eu tinha na minha cabeça que era preciso escrever tudo na ordem certinha, não podia sair da linha do tempo do enredo, quando na verdade não tinha problema nenhum em escrever de forma não linear.

O importante é: seguir em frente. Eu tenho que colocar no papel aquilo que já está na minha mente, eu não posso perder isso, algumas boas revisões depois de ter todo o rascunho pronto vai conectar tudo, vai juntar as pontas soltas, arrumar aquilo que ficou no ar, ou mudar aquilo que não está fazendo muito sentido. 

Essas descobertas fizeram toda diferença no meu jeito de escrever, o tempo que antes que eu gastava travada em um pedaço que não estava planejado ainda, hoje eu faço bom uso continuando outra cena que está mais para frente. 

E quanto ao bloqueio criativo, quanto menos você o alimenta, quanto menos você acredita nele, menos ele aparece. Não vou dizer “o bloqueio criativo é um mito”, porque acima de tudo cada um tem direito a sua opinião sobre o assunto, o que eu posso dizer é: quanto menos tenho acreditado nele, menos ele tem me aparecido.

2 comentários

Write comentários
6 de julho de 2016 11:27 delete

Tenho tido dificuldades em criar posts. Tô pesquisando, lendo, visitando, pra ver se o bloqueio vai embora. Admiro vocês, escritores, que parecem que sempre estão inspirados para escrever. Desejo toda a inspiração e criatividade do mundo pra ti! ♥♥

Reply
avatar
18 de julho de 2016 15:00 delete

Estou num caso com esse blog, aquilo de ideia que me surge para uma história, me foge para um post :v shauhusahusa
Obrigada, Grazy <3 shuah

Reply
avatar

O que dizer dessa pessoa que está escrevendo um comentário? TE CONSIDERO PAKAS!