A INQUIETAÇÃO HUMANA E BOHEMIAN RAPHSODY


Depois de tanto esperar para assistir o tão comentado Bohemian Raphsody, a última coisa que eu esperava era sair do cinema com alguma lição real para a vida. Talvez seja o momento pelo o qual estou passando, que me torna sensível para a mínima menção das questões que me rodeiam a cabeça. Mas seja como for, tem um fator em especial que me chamou a atenção no filme e não tem nada a ver com a caracterização incrível dos atores (sério, os atores ficaram incríveis).  

Pode ser muita pretensão da minha parte dizer que todo ser humano tem dentro de si uma inquietação, mesmo assim vou dizer: todo ser humano é inquieto. Ou ao menos é assim quando tem alguma coisa que não está se encaixando. 

Aqui entra Freddie Mercury e o seu emprego tedioso no grandioso Heathrow. Como nunca fui muito fã de Queen, embora tenha na ponta da língua a letra de várias músicas da banda (acho que o ser humano nasce com We Are The Champions e Love Of My Life no DNA), eu nunca tinha pesquisado sobre a vida dos membros e assim não sabia dessa parte da vida do vocalista. 

Ele estava lá em seu trabalho, onde poderia se acomodar como a maior parte da população mundial, porém tinha uma chama dentro dele que queimava e lhe dizia: amigo, você é muito mais do que isso. E se tem uma coisa que o filme deixa claro é que o homem era muito certo do seu potencial. 

Existe uma coisa que queima dentro de nós, que nos deixa inquietos quando algo não está indo certo, ou ao menos indicando que não devemos nos acomodar naquilo que estamos metidos. Pode ser naquele emprego que não nos faz feliz, mas no fim temos que aceitar, afinal a vida adulta exige certas responsabilidades. Ou aquele curso da faculdade que encaramos só por ser o que “dá dinheiro”, porém não é o que queremos fazer.  

E isso me leva a outro ponto: a espera. Eu acredito cem por cento que o ser humano não foi programado para lidar com a espera, especialmente no ponto em que nos encontramos, quando tudo é tão rápido e o tempo parece escasso. Paciência não é necessariamente o nosso ponto mais forte e como aguentar a espera por algo que às vezes nem sabemos o que é? Temos aquele sonho de fazer uma viagem internacional, ou de ser o próximo nome na lista dos mais vendidos da New York Times, ou simplesmente de descobrir qual é o nosso grande objetivo na Terra. 

Até doí ter que admitir que as coisas acontecem no seu próprio tempo. Quantas vezes será que Freddie Mercury se questionou quando seria sua vez? Ele demonstrava tanta confiança em si mesmo, que pode ser difícil imaginar que ele tenha questionado algo assim. Mas será que em sua imaginação, quando ainda sonhava com o sucesso, chegou sequer perto do que ele realmente se tornou? 

A verdade é que quando algo tem que acontecer, simplesmente vai acontecer sem qualquer interferência nossa. Qual é! Até o físico de Freddie contribuiu para ele ter uma das vozes mais marcantes da música. Aquilo que tem que ser, vai ser. E a nós apenas resta aprender a ser pacientes e não deixar que essa coisa que queima em nossos peitos esfriar. 

You May Also Like

0 comentários

O que dizer dessa pessoa que está escrevendo um comentário? TE CONSIDERO PAKAS!