UM FILME DIVERTIDAMENTE DIVERTIDO

11:32 2 Comments A+ a-


Hoje eu quero derramar amor na tela de seus computadores, pois quero falar de um dos melhores filmes que eu tive o prazer de ver em meus vinte anos de vida. DIVERTIDA MENTE!

Eu sou uma amante incorrigível de animações, principalmente aquelas que dizem respeito a Disney/Pixar. No meu coração existe um espaço exclusivo para animações e se eu gostar de alguma, eu vou assisti-la repetidas vezes até decorar todas as falar do começo ao fim. 

Já estava com altas expectativas desde que Divertida Mente começou a ser anunciado, quando eu vi que a ideia do filme era mostrar os sentimentos dentro de nossas cabeças, eu pensei “ai vem coisa boa”. Eu adoro animações justamente por elas pegarem algo simples, como os sentimentos, por exemplo, e criar um universo paralelo, onde apesar da ficção, tudo faz total sentido com a realidade. E é isso que senti assistindo Divertida Mente!

Ainda não sei expressar direito o que esse filme me faz sentir, mas sei que é algo muito bom. Eu tenho vontade de chorar no começo, quando Riley não passa de um bebê recém- nascido e a Alegria é o primeiro sentimento a surgir. A expressão da Alegria, a admiração dela em ver os rostos dos pais da Riley, é realmente tocante, vai lá no fundo do seu coração resgatar um sentimento bom (ou no fundo do seu cérebro haha).

Ok, se você não assistiu ao filme e odeia spoilers, eu sugiro que pare de ler aqui, mas fique sabendo: Divertida Mente é uma das melhores animações já criada pelo ser humano e vale a pena um tempinho do seu dia para ser assistida, pois apesar do seu público alvo ser as crianças, o filme aborda assuntos muito interessantes que valem também paro os adultos, como a tristeza. Agora entendendo isso, pode evitar o spoilers parando de ler aqui E VÁ ASSISTIR DIVERTIDA MENTE. 

Retomando... Eu tenho que falar da Tristeza. O papel dela no filme é um dos mais incríveis que já vi! Normalmente a tristeza é sempre vista como algo ruim, como algo que devemos evitar e o filme mostra o contrário. A cena em o Bing Bong perde seu carinho, a Alegria tenta fazer aquilo que lhe dá o nome, alegra-lo, mas não consegue, então Tristeza entra em ação. Você passa a entender o papel da Tristeza ali, ela não vem para o mal e sim para o bem, pois quando tristes choramos, desabafamos, procuramos alguém para ficar próximo e são essas coisas que tiram aquela sensação ruim e pesada de dentro de nós. Eu simplesmente não posso evitar chorar no momento em que a Alegria percebe isso e vê que a Tristeza tem um papel importante na vida de Riley assim como ela. 

Eu adoro o momento em que Alegria, Tristeza e Bing Bong entram nos estúdios onde são feitos os sonhos, foi uma sacada genial para explicar os sonhos! 

Outra coisa bem interessante de se perceber é a questão das mudanças no painel de controles. No inicio do filme, quando Riley ainda é um bebê, vemos apenas um botão. Depois o painel já é bem maior e no momento em que ela completa os 12 anos, fazendo menção ao inicio da pré-adolescência, é mostrado o painel sendo trocado por algo ainda maior, com uma variedade maior de ações, mais completo. É engraçada a reação do Raiva vendo os diversos palavrões disponíveis a ele. 

Ah. E é bem interessante analisar esse ponto dos palavrões também, pois não é algo que se costuma ver sendo discutido em filmes destinado as crianças. Ali Raiva questiona várias vezes “agora a gente pode usar aquele palavrão novo?”. Chega a ser cômico no final, quando ele testa alguns dos botões de palavrões e o Medo os censura com aquele sonoro “piiiiiii”.

Como eu disse, é um filme que vale também para os grandões também. Ele aborda assuntos muito interessantes, como o da tristeza já citado, também mostra muito a relação familiar. Eu particularmente achei linda a relação de Riley e seus pais, você percebe a interação e união entre eles até mesmo em suas brincadeiras, isso fica ainda mais claro nas lembranças da Riley que passam na tela no decorrer do filme. 

Não sei se a animação ainda está em cartaz, faz um pouco mais de um mês que Divertida Mente foi lançado no cinema e pelo menos na minha cidade os filmes não costumam ficar por muito tempo em cartaz, o que é uma pena. Mas surgindo a oportunidade, vai por mim, assista o filme e você não vai se arrepender!

Esse post faz parte do projeto BEDA – Blog Every Day August, que consiste em postar algo todos os dias durante todo o mês de Agosto, promovido pelo grupo Rotaroots.

2 comentários

Write comentários
14 de agosto de 2015 12:13 delete

Eu preciso ver este filme ontem.
Tô enrolando pra ver porque tem sempre série atrasada, leitura atrasada e tudo e tal.
Mas esse eu preciso ver.
Amo as animações da Disney e Pixar e sempre que estiver passando algum na tv eu vou ver, pode ter certeza. Up, principalmente. ♥

Reply
avatar
15 de agosto de 2015 09:24 delete

Ah, assista sim Aninha! Eu juro que você não vai se arrepender, a história é muito boa, tem muitos momentos cômicos, muitos momentos emocionantes também. E o curta metragem que passa antes do filme também é espetacular! É lindo de mais e a musiquinha é encantadora <3

Reply
avatar

O que dizer dessa pessoa que está escrevendo um comentário? TE CONSIDERO PAKAS!